Bolsas

Câmbio

Nicarágua está preocupada com abertura de mercado americano à carne do Brasil

Manágua, 26 ago (EFE).- Empresários da Nicarágua expressaram sua preocupação a uma delegação do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos com a abertura do mercado do país americano para a carne bovina brasileira, informou nesta sexta-feira uma fonte gremial.

"Explicamos qual é o alcance desse tipo de situações primeiro, em relação ao mercado; em segundo lugar, em relação ao tema de preços; e em terceiro lugar, como isto impacta no emprego", disse a jornalistas o presidente do Conselho Superior da Empresa Privada (Cosep), José Adán Aguerri.

Uma delegação do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos visitou esta semana a Nicarágua e se reuniu com representantes do governo e do setor de carne, que expressaram sua preocupação com o acordo com o Brasil, disse Aguirre.

O acordo que abrirá as portas do mercado dos EUA às carnes frescas e congeladas produzidas no Brasil foi fechado no mês passado em Washington, após 17 anos de negociações entre ambos os países.

O Brasil é um dos grandes exportadores de carne bovina do mundo e no ano passado lucrou cerca de US$ 6 bilhões, mais do que o dobro das exportações de todos os produtos nicaraguenses.

Os EUA, um dos maiores mercados do planeta, só adquiria carne bovina brasileira industrializada e mantinha vetado a entrada das frescas e congeladas, por questões fitossanitárias que foram superadas com esse acordo assinado em julho passado.

Segundo os cálculos do governo brasileiro, a exportação de carnes frescas e congeladas para os EUA começará em um prazo de dois ou três meses e durante o próximo ano gerará receita adicionais de mais US$ 1 bilhão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos