Bolsas

Câmbio

Santander Brasil diz que compra do Citigroup geraria "uma distração"

São Paulo, 26 out (EFE).- O presidente da filial brasileira do Santander, Sérgio Rial, afirmou nesta quarta-feira que a entidade descartou adquirir os ativos do americano Citigroup no país porque geraria "uma distração" na estratégia da companhia, focada neste momento no "crescimento orgânico".

"Entramos na disputa, mas decidimos não participar da concorrência final porque nosso caminho é o crescimento orgânico", disse Rial em um encontro com jornalistas em São Paulo para comentar os resultados do terceiro trimestre.

O diretor afirmou que o banco está "centrado" em melhorar o serviço aos clientes brasileiros e que "o valor estratégico da compra dos ativos do Citigroup era desproporcionalmente maior" considerando que o banco se desviaria de seu principal objetivo.

Esse "crescimento orgânico", com o cliente como eixo central, "vai gerar no curto e médio prazo mais valor para o acionista do que qualquer distração neste momento", acrescentou.

O Citigroup anunciou no início deste ano que venderia suas operações de bancos na Argentina, no Brasil e na Colômbia, a fim de focar no negócio de clientes corporativos e institucionais. No Brasil, o Itaú Unibanco anunciou neste mês um acordo para a compra da rede do Citibank no país por R$ 710 milhões.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos