PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Protesto contra chegada da Amazon a Nova York mostra divisão entre democratas

14/11/2018 20h25

Nova York, 14 nov (EFE).- Um protesto organizado por representantes locais e moradores do bairro de Queens, em Nova York, escolhido para receber a nova sede da Amazon, mostrou mais uma vez a divisão dos democratas da cidade sobre a chegada da empresa.

Vários políticos eleitos pelo partido apoiaram os protestos por considerarem como intoleráveis os US$ 1,52 bilhão em subsídios fiscais que a Amazon receberá do estado de Nova York. Para eles, o dinheiro deveria ser investido em políticas de habitação, destinado à educação pública ou para promover melhorias no transporte.

As divisões internas começaram há uma semana, quando vários veículos da imprensa americana anteciparam as intenções da Amazon de construir duas novas sedes, uma em Nova York e outra na Virgínia. São 25 mil postos de trabalho em cada, com um investimento total de US$ 5 bilhões por parte da empresa.

Segundo os democratas que criticam a decisão, liderados por vários representantes do partido, entre eles a recém-eleita congressista Alexandria Ocasio-Cortez, a nova sede da Amazon vai provocar uma piora das condições de vida das pessoas, com uma alta do custo da moradia no bairro e na cidade.

Para os integrantes mais rebeldes do partido, que comanda o estado e a cidade de Nova York, as prioridades dos dois governos não estão em conformidade com as políticas sociais.

"A Amazon é uma empresa de US$ 1 trilhão. A ideia de que receberá centenas de milhões de dólares em benefícios fiscais ao mesmo tempo em que nosso metrô desmorona e nossas comunidades precisam de mais investimentos é algo que preocupa os que vivem aqui", explicou Ocasio em uma série de mensagens publicada no Twitter.

Uma dos questionamentos é a falta de transparência do acordo firmado entre os governos locais e a Amazon, que receberia até US$ 3 bilhões em subsídios fiscais - US$ 1,7 bilhão do estado e US$ 1,3 bilhão da cidade de Nova York.

As críticas contrastam com os elogios feitos pela ala mais liberal do partido, representada pelo prefeito de Nova York, Bill de Blasio, pelo governador do estado, Andrew Cuomo, e pelo senador Chuck Schumer, líder da minoria democrata no Senado.

Para De Blasio, a chegada da Amazon consolida Nova York como "um grande centro tecnológico internacional". Já Cuomo considera que os planos da empresa são "parte da economia da amanhã".

Schumer, em um longo comunicado, também comemorou a decisão da empresa de Jeff Bezos e afirmou que esta é uma "grande oportunidade para ajudar os nova-iorquinos de todas as faixas de renda".