PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Democratas afirmam que Trump está afundando EUA no caos

24/12/2018 20h39

Washington, 24 dez (EFE).- Líderes democratas do Congresso dos Estados Unidos afirmaram nesta segunda-feira que o presidente Donald Trump está "afundando o país no caos" com os ataques ao Federal Reserve, o banco central americano, e com a paralisação parcial do governo por falta de acordo para aprovação de um novo orçamento.

O posicionamento ocorre depois de o índice Dow Jones Industrial, principal indicador da Bolsa de Nova York, ter fechado o dia em baixa de 2,91%, em sua pior véspera de Natal da história.

Em comunicado, o líderes do partido no Senado, Chuck Schumer, e na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, alertaram que o mercado está desabando enquanto o presidente trava uma "guerra pessoal" com o Fed depois da saída do secretário de Defesa, James Mattis.

Trump afirmou hoje no Twitter que o "único problema" da economia americana é o Fed, que não teria "tato com o mercado".

Segundo a imprensa americana, Trump chegou a cogitar demitir o presidente do Fed, Jerome Powell, após a alta nas taxas de juros do país na semana passada. No entanto, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, negou os rumores sobre o desejo do chefe.

Trump, além disso, está sendo questionado pela saída de Mattis do governo, uma decisão que ocorreu depois de o presidente anunciar a retirada das tropas americanas da Síria.

"É noite do dia 24 de dezembro e o presidente Trump está afundando o país no caos", afirmaram os dois líderes democratas, que responsabilizam o republicano pela paralisação do governo.

Devido à falta de acordo para aprovar um novo orçamento para o Executivo, 25% do governo está sem verba para funcionar.

A paralisação ocorreu porque Trump exige que o Congresso inclua no orçamento cerca de US$ 5 bilhões para a construção de um muro na fronteira com o México. Os democratas se negam autorizar o financiamento da obra.

As partes estão em negociação para tentar solucionar o problema, mas Schumer e Pelosi disseram que o acordo é difícil porque a Casa Branca não tem uma posição unificada.

"Diferentes pessoas da Casa Branca estão dizendo diferentes coisas que o presidente poderia aceitar ou não para acabar com essa paralisação provocada por ele, o que torna impossível conhecer a posição dele", afirmaram os líderes democratas.

O Senado se reunirá na quinta-feira para tentar resolver o problema orçamentário, mas a Casa Branca acredita que a paralisação deve durar até janeiro de 2019. EFE