Topo

Novo Aeroporto de Istambul entrará plenamente em operação em 3 de março

21/01/2019 14h48

Istambul, 21 jan (EFE).- No próximo dia 3 de março, o Aeroporto Internacional de Atatürk, em Istambul, o quinto mais importante da Europa, fechará suas portas aos passageiros, que a partir deste dia irão utilizar o recém-construído Aeroporto de Istambul (IGA), confirmou nesta segunda-feira Gökhan Sengül, diretor de comunicação do IGA.

"A mudança começará em 1 de março e no dia 3 todos os voos de passageiros serão realizados desde o novo aeroporto. O antigo aeroporto será utilizado apenas para voos de mercadorias", afirmou à Agência Efe o diretor.

O novo aeroporto, que em 2 de março herdará do antigo as siglas IST, contará inicialmente com duas pistas de aterrissagem, às quais em 2020 será acrescentada uma terceira, detalhou Sengül.

Desde o princípio, as instalações terão uma capacidade teórica de 80 voos (40 decolagens e 40 aterrissagens) por hora, o que permitiria um máximo de quase 2 mil voos por dia, um número claramente superior ao atual recorde do aeroporto de Atatürk, com 1,5 mil voos realizados em um dia.

Se o aeroporto de Atatürk maneja anualmente mais de 60 milhões de passageiros, o novo centro aspira receber 90 milhões de viajantes durante 2019 e crescer até uma capacidade de 200 milhões dentro de uma década.

O Aeroporto de Istambul começou a ser construído em 2015 em um terreno de antigas minas de carvão perto da costa do Mar Negro, ao noroeste da cidade, a cerca de 35 quilômetros do centro histórico.

Foi inaugurado oficialmente em 29 de outubro, no Dia da República, mas até agora só acolhe um número reduzido de voos da companhia de bandeira Turkish Airlines, entre eles alguns a Paris, Frankfurt, Munique e Moscou.

Embora exista planos para conectar o novo aeroporto com Istambul mediante uma linha de metrô, por enquanto só há várias linhas de ônibus que demoram aproximadamente uma hora para fazer o percurso desde e até a cidade.

O aeroporto Sabiha Gökçen (SAW) no lado asiático da cidade, com uma capacidade muito menor que o do Atatürk, seguirá operando sem mudanças. EFE

Economia