PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Dow Jones fecha em alta de 1,74%

15/02/2019 20h05

Nova York, 15 fev (EFE).- O índice Dow Jones Industrial fechou nesta sexta-feira em alta de 1,74%, em mais um dia de otimismo em Wall Street com as negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

O principal indicador da Bolsa de Nova York somou 443,86 pontos e agora acumula 25.883,25. Já o seletivo S&P 500 avançou 1,09%, para 2.775,60, enquanto o índice composto da Nasdaq subiu 0,61% e fechou aos 7.472,41 pontos.

Por setores, o financeiro se destacou com um progresso de 2,02%, seguido pelo energético (1,59%), que está vinculado aos preços do petróleo, e pelo sanitário (1,47%).

Wall Street viveu um pregão de retomada após o fechamento misto de quinta-feira e se despediu de outra semana em terreno positivo, a oitava consecutiva, com o que já registra sua melhor sequência em quase dois anos.

Nos últimos cinco dias, o Dow Jones se valorizou 3,09%, enquanto o S&P 500 avançou 2,5% e o Nasdaq subiu 2,53%.

A alta de hoje vem motivada pela negociação comercial entre EUA e China, que acabaram uma terceira rodada de conversas em Pequim com "avanços importantes", segundo o presidente chinês, Xi Jinping.

De acordo com informações oficiais, Xi deseja que ambas partes possam alcançar um acordo "mutuamente benéfico" na próxima rodada de diálogo, que será realizada na próxima semana em Washington.

Por outro lado, os mercados não pareceram impactados pela tensão política nos EUA após a declaração de emergência nacional do presidente Donald Trump, que tenta reunir US$ 8 bilhões para financiar a construção de um muro na fronteira com o México.

Entre as 30 empresas que cotam no grupo do Dow Jones, os maiores lucros foram de Goldman Sachs (3,1%), JP Morgan Chase (3,06%), DowDuPont (3%), United Technologies (2,92%) e Caterpillar (2,70%).

Por sua vez, as únicas baixas foram nas ações de Coca-Cola (-0,77%) e Apple (-0,22%).

Em outros mercados, a onça do ouro subia para US$ 1.324,70, enquanto a rentabilidade do bônus do Tesouro a dez anos avançava até 2,666%. EFE