PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Fed não pretende movimentar taxas de juros nos EUA "no que resta do ano"

10/04/2019 17h08

Washington, 10 abr (EFE).- O Federal Reserve (Fed, banco central americano) prevê não movimentar mais as taxas de juros nos Estados Unidos "no que resta do ano", segundo as atas da reunião de política monetária do último mês de março, em resposta ao arrefecimento doméstico do final de 2019 e ao crescimento menor que o esperado na Europa e na China.

"A maioria dos participantes antecipou que a evolução das perspectivas econômicas e os riscos provavelmente recomendariam deixar a categoria de juros sem mudanças no que resta do ano", assinalaram as atas divulgadas nesta quarta-feira.

No encontro de março, o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, em inglês), decidiu manter o preço do dinheiro entre 2,25% e 2,5% e insistiu em um enfoque "paciente" em relação a futuras altas.

Com a relação ao futuro, o documento indica que "vários dos participantes remarcaram que seus pontos de vista sobre a categoria apropriada de juros poderia mudar em qualquer direção em função dos indicadores econômicos e outros eventos".

O presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou na entrevista coletiva posterior em março que "demorará um tempo" em voltar a movimentar as taxas de juros, mas ressaltou que o ritmo de crescimento continuava sendo "sólido".

Nas últimas semanas, cresceram as pressões da Casa Branca e o presidente americano, Donald Trump, afirmou que o banco central deveria diminuir os juros para apoiar o crescimento econômico.

Além disso, seu principal assessor econômico, Larry Kudlow, detalhou que o corte de juros mais apropriado seria de 50 pontos básicos.

Os comentários sobre política monetária da Casa Branca de Trump rompem com o tradicional respeito pela independência do Fed por parte do Executivo americano.

No seu encontro do mês passado, o Fed rebaixou suas perspectivas econômicas nos EUA para este ano para 2,1%, frente ao 2,3% do início do ano, após o 2,9% registrado em 2018, e previu que a inflação se manteria próxima à meta anual de 2%.

A próxima reunião de política monetária do Fed está marcada para os dias 30 de abril e 1º de maio. EFE