PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Exxon evacua estrangeiros de campo de petróleo iraquiano em meio a tensões

18/05/2019 11h55

Bagdá, 18 mai (EFE).- A companhia petrolífera americana Exxon Mobil evacuou entre ontem e hoje todo seu pessoal estrangeiro que trabalhava no campo de petróleo de Al Qurnah 1, na província iraquiana de Basra, em meio às recentes tensões entre o Irã e os Estados Unidos no Golfo Pérsico.

Uma fonte do Ministério de Petróleo iraquiano, que pediu para não ser identificada, disse neste sábado à Agência Efe que a empresa americana transferiu alguns de seus empregados estrangeiros do campo de Al Qurnah para Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, enquanto outros se encontram na sede principal da companhia na cidade de Basra.

A fonte não esclareceu quantas pessoas foram evacuadas para Dubai e quantas ficam em Basra.

O processo de evacuação aconteceu entre ontem e esta manhã, segundo a fonte, que acrescentou que esta decisão não vai afetar a produção do campo de petróleo.

Além disso, afirmou que serão os iraquianos que administrarão durante este período o campo de petróleo em Basra, uma província que garante que sua situação de segurança é "estável".

A fonte não apresentou mais detalhes sobre os motivos desta evacuação e a Exxon Mobil também não se pronunciou até o momento a respeito.

No último dia 15 de maio, os Estados Unidos ordenaram a saída de seu pessoal diplomático "não imprescindível" da embaixada no Iraque e do seu consulado em Erbil, capital da região do Curdistão, por riscos de segurança.

A tensão começou a subir no final de semana passado depois que a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos denunciaram a suposta sabotagem de vários navios em águas do Golfo Pérsico.

Na última semana, os EUA enviaram ao Golfo Pérsico o porta-aviões Abraham Lincoln, a doca de transporte anfíbio USS Arlington, baterias de mísseis Patriot e bombardeiros, após denunciar que tinha detectado "indícios" de planos ofensivos iranianos contra suas forças e interesses no Oriente Médio.

O Iraque é um destacado parceiro político e comercial do Irã e já assegurou no passado que não mudaria sua relação com este país, cujo governo apoia o iraquiano, influenciado por grupos xiitas, o ramo do islã predominante entre os iranianos.

Hoje, o Ministério das Relações Exteriores de Bahrein pediu aos seus cidadãos que deixem tanto o Iraque como o Irã "imediatamente" devido às recentes tensões.

Em setembro do ano passado, os Estados Unidos fecharam seu consulado em Basra depois de um incidente com disparos nas imediações do edifício, pelo qual Washington culpou as milícias apoiadas pelo Irã. EFE