PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Barril do Texas fecha em baixa de 1,6%

24/07/2019 17h55

Nova York, 24 jul (EFE).- O barril de Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou em baixa de 1,6% nesta quarta-feira, cotado a US$ 55,88, apesar de uma queda nas reservas dos Estados Unidos e das tensões geopolíticas no Oriente Médio.

Ao final das operações da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros do WTI para entrega em setembro caíram US$ 0,89 em relação ao fechamento de ontem.

A queda registrada hoje no preço do WTI aconteceu apesar das pressões de alta provocadas por uma queda maior que a prevista no estoque de petróleo dos EUA e pelas tensões geopolíticas no Oriente Médio.

O governo americano informou nesta quarta-feira que as reservas de petróleo caíram em 10,8 milhões de barris na semana que terminou em 19 de julho, mais que o dobro do que era esperado pelos analistas, que atribuíram essa redução ao efeito de uma tempestade que passou pelo Golfo do México no início do mês e obrigou a interromper a produção.

No plano geopolítico, o Irã disse hoje que não busca "enfrentamentos militares" no Golfo Pérsico e no Estreito de Ormuz, mas não permitirá que "ninguém cometa irregularidades", o que representa uma advertência ao Reino Unido e aos Estados Unidos.

A Guarda Revolucionária do Irã deteve na última sexta-feira um petroleiro britânico por infringir as normas de navegação. O Reino Unido, por sua vez, nega essa alegação e propôs o envio de uma missão "europeia" ao estreito.

Além disso, fontes do Comando Central (CentCom) das forças armadas americanas informaram hoje que Washington abriu fogo contra dois supostos drones iranianos na semana passada, mas só observou um deles sendo abatido.

Em 19 de junho, o Irã informou que havia derrubado um drone americano, também no Estreito de Ormuz, alegando que o mesmo tinha violado seu espaço aéreo, um detalhe que foi rejeitado por Washington.

Nesse contexto, os contratos de gasolina com vencimento em agosto caíram menos de US$ 0,01, para US$ 1,85 o galão, enquanto os de gás natural com vencimento no mesmo mês caíram US$ 0,08, para US$ 2,22 por cada mil pés cúbicos. EFE