PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

México anuncia plano de estímulo à economia de US$ 25 bilhões

29/07/2019 21h56

Cidade do México, 29 jul (EFE).- O governo do México anunciou nesta segunda-feira um plano de estímulo à economia de 485 bilhões de pesos mexicanos (US$ 25,4 bilhões).

A medida é uma resposta aos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística e Geografia (Inegi), que calculou que o Produto Interno Bruto (PIB) recuou 0,2% no primeiro trimestre de 2019 em relação aos últimos três meses do ano anterior.

Para o segundo trimestre deste ano, as previsões também não são nada otimistas. Alguns analistas projetam nova queda de 0,2%, o que colocaria o país em recessão técnica - quando a economia recua por dois semestres consecutivos em relação ao trimestre anterior.

O secretário de Fazenda e Crédito Público do México, Arturo Herrera, afirmou em entrevista coletiva que o país sofre com um "processo geral" de desaceleração da economia em nível global.

O estímulo dado pelo governo, segundo ele, ajudará a economia mexicana a reagir às tensões comerciais, em particular a guerra travada por Estados Unidos e China, e às incertezas políticas, como as relativas à saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

"O México não é imune a toda essa série de tendências. Por isso pensamos que tínhamos que iniciar um programa que apoiasse de maneira imediata o dinamismo da economia", disse Herrera, que só foi confirmado no cargo pelo Congresso no último dia 18.

O plano será dividido em três partes. A primeira visa trazer investimentos para a construção de novas infraestruturas por meio de um programa de concessões. A segunda quer incentivar os investimentos e o consumo privado a partir da ampliação da disponibilidade de crédito por parte de bancos de desenvolvimento. E a terceira prevê a antecipação para agosto, setembro e outubro de licitações que estavam previstas para 2020.

"Nós não vamos começar a gastar em 2020, mas as empresas que vençam começarão a comprar insumos, equipamentos, a fazer investimentos de capital e a contratar empregados desde o segundo semestre de 2019", argumentou Herrera.

Do total do programa, 50 bilhões de pesos mexicanos (U$ 2,62 bilhões) serão destinados a promover a construção de novas instruturas. Para o apoio aos investimentos privados e ao consumo por meio de concessão de crédito à população, o governo separou 320 bilhões de pesos mexicanos (US$ 16,7 bilhões). O restante, 116 bilhões de pesos mexicanos (US$ 6 bilhões), será usado para antecipar as licitações.

"Todas as ações têm impacto imediato, dentro de 2019, e são adições ao que já estava previsto", disse o secretário.

O programa de estímulo econômico foi anunciado enquanto o México espera os resultados preliminares sobre o PIB no segundo semestre. Os dados serão divulgados na quarta-feira.

O Banco do México já antecipou a possibilidade de uma "leve recessão" após o registro de uma desaceleração maior do que a esperada da atividade econômica do país.

Apesar dos temores do mercado e até de parte do governo, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, descartou hoje qualquer hipótese de recessão e afirmou que o país "vai muito bem" no plano econômico.

Para López Obrador, há mais "desenvolvimento e bem-estar" no México desde que ele assumiu o poder em 1º de dezembro do ano passado. EFE