IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Macri anuncia medidas econômicas para tentar reverter derrota nas primárias

14/08/2019 11h38

Buenos Aires, 14 ago (EFE).- O presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou nesta quarta-feira uma série de medidas econômicas para tentar reverter a dura derrota imposta a ele pela oposição nas eleições primárias realizadas no país no último domingo.

"Sobre o resultado das eleições, sabiam que lhes entendi. Que isso tenha ocorrido é pura e exclusivamente responsabilidade minha e de minha equipe de governo', afirmou Macri, que tenta se reeleger para permanecer mais quatro anos na Casa Rosada.

O pacote econômico, segundo o presidente, será um "alívio" 17 milhões de pessoas. Macri disse que deu preferência à aprovação de reformas estruturais para ter uma economia de base sólida, mas que ouviu o recado dos argentinos nas urnas e resolveu atendê-los.

Entre as medidas que fazem parte do pacote anunciado hoje estão um aumento no salário mínimo, bônus salariais para funcionários da iniciativa privada e públicos, alívio da carga tributária para a classe média, uma moratória para pequenas e médias empresas e o congelamento dos preços dos combustíveis por 90 dias.

No discurso para anunciar o plano, Macri deu poucos detalhes sobre como o pacote será financiado e deu bastante ênfase ao aspecto político de suas medidas. O presidente afirmou que fez uma autocrítica e pediu desculpas pelas declarações feitas no domingo, logo após a divulgação dos resultados das primárias.

"Muitos argentinos, depois de um ano muito duro, disseram 'não posso mais'. Sentiram que o que lhes pedi foi muito difícil. E hoje estão cansados, irritados. Chegar ao fim do mês virou uma coisa impossível para muitos", disse Macri sobre a crise enfrentada pelo país.

O candidato à reeleição pela coalizão Juntos pelo Câmbio, porém, pediu que os argentinos se lembrem do trabalho feito pela sociedade nos últimos anos e não duvidem que houve avanços importantes desde a chegada de Macri ao poder em dezembro de 2015.

"Nestas últimas 48 horas ficou claro que a incerteza política causa muito prejuízo e isso nos obriga a sermos responsáveis", destacou Macri, citando a turbulência no mercado financeiro após a vitória de seu principal opositor, Alberto Fernández, nas primárias.

Desde a derrota de Macri, o peso argentino despencou, o risco-país atingiu nível recorde e o índice Merval, o principal da Bolsa de Comércio de Buenos Aires, registrou uma queda de 37,93% na segunda-feira, um dos piores desempenhos de sua história.

Macri também aproveitou o discurso para enviar um recado à oposição, em especial para Fernández, que tem como companheira de chapa a ex-presidente Cristina Kirchner. O presidente disse estar disponível para dialogar com os adversários.

"Falei com alguns candidatos e insistirei para falar com os outros com que não consegui conversar. Estou 24 horas disponível para conversar, quero me reunir com eles, para que transmitamos tranquilidade neste processo eleitoral que começou", disse Macri. EFE

Mais Economia