PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

BP pretende atingir "zero líquido" de emissões até 2050

12/02/2020 17h01

Londres, 12 fev (EFE).- O CEO da petroleira BP, Bernard Looney, anunciou nesta quarta-feira que a companhia pretende atingir um ponto de "zero líquido" de emissões de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera até 2050, em uma iniciativa que tem atraído críticas de organizações ambientais.

Looney, que substituiu Bob Dudley na semana passada, disse que a BP "se reinventará" para se tornar "neutra em carbono", o que significa eliminar 415 milhões de toneladas de emissões de longo prazo, segundo um comunicado.

Isso inclui cerca de 55 milhões de toneladas do CO2 equivalente que a empresa emite anualmente através de suas operações e outros 360 milhões do conteúdo de carbono de seus produtos de petróleo e gás.

Ele também quer reduzir em 50% a "intensidade de carbono" dos produtos que vende, conforme diz a nota, que não especifica como esses objetivos serão alcançados.

"O orçamento global de carbono é finito e está se esgotando rapidamente. Precisamos de uma rápida transição para o zero líquido. Todos queremos energia que seja confiável e acessível, mas isso não é suficiente. Tem que ser mais limpo", afirmou.

Looney, que especificará seus planos mais tarde, disse que a transição da empresa fundada há 111 anos significará menos investimentos em combustíveis fósseis a longo prazo e mais em energias renováveis - embora a atual produção de energia convencional seja mantida no curto prazo.

O consultor de petróleo do Greenpeace, Charlie Kronick, criticou a falta de detalhes nos planos da BP e acusou o novo CEO de deixar o cumprimento nas mãos de seus sucessores até 2050, deixando "perguntas urgentes" sem resposta.

Já Murray Worthy, da Global Witness, afirmou que o anúncio da BP é "uma tentativa de atrair manchetes positivas" na imprensa e disse que o plano "não tem credibilidade".

Economia