PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

França mantém reprovação a acordo UE-Mercosul por motivos ambientais

18/09/2020 13h39

Paris, 18 set (EFE).- O governo da França anunciou nesta sexta-feira que vai manter a rejeição ao acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia (UE) devido a questões ambientais.

O gabinete do primeiro-ministro Jean Castex informou em comunicado que a UE deveria continuar as negociações com o Mercosul para garantir três pontos: acabar com o desmatamento, respeitar os acordos climáticos de Paris e fazer com que os produtos importados procedentes dos países do Mercosul cumpram as normas europeias de saúde e ambientais.

A posição do governo da França foi anunciada após a apresentação do relatório de um grupo de especialistas, encomendado há um ano, para rever os termos do pacto diante de incertezas do gabinete do premiê e do presidente, Emmanuel Macron, sobre o tema.

O relatório ressalta "o nível insuficiente de ambição" do projeto de acordo como uma ferramenta para levar os países do Mercosul a levar mais em conta a proteção da biodiversidade e o problema climático, diz o comunicado.

"Estes elementos apoiam a posição da França de se opor ao projeto de acordo de associação na sua forma atual", acrescentou o Palácio de Matignon.

Macron já havia declarado em agosto de 2019 que a França não poderia ratificar este acordo comercial, que foi fechado em junho de 2018, devido às posições e políticas dos países do bloco sul-americano sobre os Acordos de Paris.

Em particular, Macron e o governo francês têm sido especialmente críticos em relação às políticas do presidente brasileiro Jair Bolsonaro diante do desmatamento e dos incêndios na Amazônia.

"Estes atos são contrários tanto à letra quanto ao espírito do projeto do acordo de associação UE-Mercosul", enfatizou o gabinete do primeiro-ministro francês.