PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Whirlpool anuncia investimentos de US$ 40 milhões na Argentina

08/02/2021 20h17

Buenos Aires, 8 fev (EFE).- A fabricante americana de eletrodomésticos Whirlpool anunciou nesta segunda-feira um plano de investimentos de US$ 40 milhões para construir uma nova fábrica na Argentina, o que deve gerar "mil novos postos de trabalho diretos e indiretos".

Segundo um comunicado da presidência, a verba será destinada ao desenvolvimento de um espaço produtivo de 30 mil metros quadrados, com tecnologia "de última geração" para a produção de lavadoras de "alta capacidade de carga".

Esta fábrica, que a empresa promete ser "a mais moderna" da América Latina, desenvolverá um total de 300 mil unidades mediante "processos sustentáveis" para a preservação do meio ambiente.

Da produção total da nova fábrica, dois terços serão destinados à exportação, de modo que a empresa gere uma balança comercial positiva a partir de 2023, de acordo com o comunicado.

A construção da nova instalação será concluída em um prazo entre 18 e 24 meses, criando mil novos postos de trabalho graças à "fabricação própria" e ao "desenvolvimento de fornecedores locais".

Este acordo foi anunciado após uma videoconferência entre o presidente da Whirpool na América Latina, o brasileiro João Carlos Brega, e o presidente da Argentina, Alberto Fernández, que disse que "foram abertas novas perspectivas para a indústria argentina a partir dos anúncios dos investimentos".

"O desenvolvimento das empresas é o desenvolvimento do país", comentou o mandatário em declarações reproduzidas no comunicado.

Por sua parte, Brega afirmou que a Whirlpool escolheu a Argentina "como ponto-chave para complementar a capacidade produtiva da região" através da construção deste novo centro de abastecimento que gerará "um novo modelo de fornecimento".

Fernández, que esteve acompanhado do ministro do Desenvolvimento Produtivo, Matías Kulfas, agradeceu a João Carlos Brega pelo investimento "que gera emprego, promove as exportações e a entrada de divisas no país". EFE

jacb/vnm