PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Empresas privadas da Venezuela tentam importar vacinas contra Covid-19

26/03/2021 00h10

Caracas, 25 mar (EFE).- A maior associação de empresas privadas da Venezuela, a Fedecámaras, anunciou nesta quinta-feira que pretende importar 6 milhões de vacinas contra covid-19 para imunizar trabalhadores desse setor e suas famílias, e que para isso aguarda a autorização do governo de Nicolás Maduro.

"É um programa de vacinação para trabalhadores de empresas privadas e seus familiares", afirmou o presidente da entidade patronal, Ricardo Cusanno, em entrevista coletiva, após explicar que o projeto visa colaborar com a meta do governo de imunizar este ano 70% da população e alcançar a chamada imunidade de rebanho.

"Não é um projeto de comercialização, é um projeto de ajuda ao país", disse Cusanno, explicando que nenhum agente envolvido na aquisição, controle, armazenamento, distribuição e aplicação pretende gerar riqueza com a iniciativa.

O plano "contempla um primeiro lote de 6 milhões de doses para vacinar 3 milhões de pessoas", e 20% seriam destinadas a "populações mais vulneráveis", que seriam determinadas pelo governo.

A Fedecámaras esclareceu que, caso consiga comprar vacinas de dose única, a meta seria imunizar 6 milhões de venezuelanos.

O porta-voz dos empresários, que afirmou que o projeto levaria quatro meses e meio para se concretizar, frisou que a proposta já foi enviada ao governo de Nicolás Maduro e que espera que seja aprovada "rapidamente".

As vacinas que farão parte deste programa serão as aprovadas pelas autoridades sanitárias do país, que até agora permitem a aplicação da Sputnik V, fabricada pela Rússia, e a do laboratório chinês Sinopharm, mas mantendo o veto à da AstraZeneca.

Depois de importadas, as doses seriam distribuídas através de uma rede de 100 clínicas privadas, que, sob a supervisão da Academia Nacional de Medicina, administrar 500 vacinas diárias.

O plano está aberto a todas as empresas que pretendam inscrever os seus trabalhadores em uma plataforma que os empregadores estão desenvolvendo.

Com uma população de cerca de 30 milhões de pessoas, a Venezuela já recebeu 700 mil doses da Sputnik V e da vacina fabricada pela Sinopharm, mas ainda não foi determinado quantas foram aplicadas.

O país vive uma nova onda da pandemia de covid-19, com aumento de casos e mortes por covid-19, totalizando 153.315 e 1.521, respectivamente.