Combustíveis recuam 2,84% no IPCA de junho, com impacto de -0,14pp, aponta IBGE

Daniela Amorim

Rio

Os preços dos combustíveis recuaram 2,84% em junho, uma contribuição de -0,14 ponto porcentual para a deflação de 0,23% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"A gasolina, nesse mês de junho, teve duas reduções autorizadas pela Petrobras nas refinarias que se refletiram no IPCA. Além disso, tem a safra de açúcar, que também é muito grande, sendo comercializada em abundância, então o álcool está em queda", lembrou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.

O etanol influencia o preço da gasolina porque integra a mistura do combustível vendido nas bombas. Em junho, o litro da gasolina ficou 2,65% mais barato, enquanto o etanol recuou 4,66%.

"Então além das reduções ao nível das refinarias, o álcool na mistura fez com que a gasolina tivesse queda. E tem também a questão da demanda menor", acrescentou Eulina.

A taxa do grupo Transportes saiu de uma queda de 0,42% em maio para recuo de 0,52% em junho. As tarifas dos ônibus interestaduais também ajudaram no resultado, com redução de 1,94%, enquanto que as passagens aéreas tiveram aumento de 6,89%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos