ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Ambiente regulatório está se tornando mais difícil, diz presidente do Itaú

Aline Bronzati

São Paulo

12/09/2018 15h18

O presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher, afirmou que o ambiente regulatório está se tornando mais difícil e mais desafiador no setor bancário. Pesa, sobretudo, conforme o executivo, o aumento da concorrência com fintechs - startups do setor financeiro - e outras empresas que passaram a competir com os bancos, expondo a qualidade de serviços desses players em determinados nichos.

"Essas empresas têm atuado em nichos nos quais os bancos são menos eficientes, têm margens maiores e preços mais caros. Isso desperta os reguladores, que passam a ter um apetite de regular maior. Não é um fenômeno só no Brasil", explicou Bracher, em reunião com analistas e investidores, nesta tarde.

Como exemplo, o presidente do Itaú citou medidas no setor de cartões, estabelecendo preços máximos e proibindo cobranças de tarifas, e ainda a atuação da XP Investimentos, da qual o banco tem uma participação minoritária, que recentemente foi aprovada pelo Banco Central. "Isso tem gerado uma competição maior em todos os segmentos", acrescentou Bracher.

O presidente do Itaú afirmou ainda que a tecnologia é uma grande oportunidade e tem de ser aproveitada. Chamou a atenção para a necessidade de o banco estar permanentemente em mudanças. "É algo cultural. Esse é o banco que estamos tentando construir, um banco que esteja mudando permanentemente. Essa não é uma novidade. Talvez, o ritmo", disse o executivo.

Ele lembrou ainda a mudança de estratégia do Itaú de 2012 para cá, quando passou a focar mais em serviços e reduzir o risco do seu balanço. Citou também o fato de a concessão de crédito ter rendido acima do custo de crédito do banco, de 14,5% ante 14%. Ponderou, contudo, que o custo subiu e que diante disso a oferta de empréstimos terá de ser melhor rentabilizada no cenário atual.

Mais Economia