PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Heleno: Bolsonaro precisava dar uma 'respiradinha'

Adriana Fernandes, enviada especial

Davos

23/01/2019 14h33

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, atribuiu à agenda pesada e o cansaço a decisão do presidente Jair Bolsonaro de cancelar pronunciamento conjunto no Fórum Econômico Mundial de Davos. O pronunciamento estava marcado para as 16 horas.

"A agenda é pesada. A diferença acaba influindo. Ele já não dorme muito bem, de muito tempo, não é de hoje. Se der uma chancezinha às vezes ele dorme no carro porque a programação é cansativa", explicou o general, depois de o presidente ter retornado ao hotel.

Segundo Augusto Heleno, não "há nada além disso" com o presidente. O ministro disse que os encontros do presidente em Davos têm sido ótimos e almoço desta quarta foi bastante produtivo. "Não tem nada que possa ter levado ele a sair com pressa. Ele precisava dar uma respiradinha para continuar na programação", disse.

O ministro negou também que o presidente tenha se sentido mal. "Sentiu nada. Você não viu a velocidade que ele saiu de lá. Essa velocidade não é de alguém que está sentindo alguma coisa. É de alguém que está se sentindo bem", disse o general.

Heleno foi escalado para dar explicações depois de mais de uma hora de informações desencontradas sobre o cancelamento do pronunciamento do presidente.