IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

BC: IBC-Br sobe 0,30% em junho ante maio, com ajuste

Fabrício de Castro

Brasília

12/08/2019 09h35

Após avançar 1,10% em maio (dado revisado), a economia brasileira teve nova alta em junho deste ano. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) avançou 0,30% em junho ante maio, na série com ajuste sazonal, informou nesta segunda-feira, 12, a instituição. Foi a segunda elevação registrada no governo de Jair Bolsonaro.

O índice de atividade calculado pelo BC passou de 137,80 pontos para 138,22 pontos na série dessazonalizada de maio para junho. Este é o maior patamar para o IBC-Br com ajuste desde janeiro deste ano (138,59 pontos).

A alta do IBC-Br ficou dentro do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Broadcast Projeções, que esperavam resultado entre -1,02% e +0,70% (mediana em +0,10%).

Na comparação entre os meses de junho de 2019 e junho de 2018, houve baixa de 1,75% na série sem ajustes sazonais. Esta série encerrou com o IBC-Br em 135,00 pontos em junho, ante 137,41 pontos de junho do ano passado.

O indicador de junho de 2019 ante o mesmo mês de 2018 mostrou desempenho acima do apontado pela mediana (-2,3%) das previsões de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Broadcast Projeções (-3,8% a -1,23% de intervalo). O patamar de 135,00 pontos é o menor para meses de junho desde 2009 (125,61 pontos).

Acumulados

O IBC-Br acumulou alta de 0,62% no primeiro semestre do ano, informou há pouco o Banco Central. O porcentual diz respeito à série sem ajustes sazonais.

Pela mesma série, o IBC-Br apresenta alta de 1,08% nos 12 meses encerrados em junho.

No acumulado do segundo trimestre de 2019, na comparação com o primeiro trimestre, pela série ajustada, o IBC-Br registrou baixa de 0,13%.

Levantamento do Projeções Broadcast apontava mediana negativa de 0,40% para o indicador no trimestre, com intervalo que ia de queda de 1,32% a taxa zero.

O BC informou ainda que o IBC-Br acumulou alta de 0,85% no segundo trimestre de 2019 ante o mesmo período do ano passado, pela série sem ajustes sazonais. Nesse caso, o intervalo ia de queda de 0,30% a alta de 0,85%, com mediana positiva de 0,50%.

Revisões

O BC revisou dados de seu Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) na margem, na série com ajuste. O IBC-Br de maio foi de +0,54% para +1,10%, enquanto o índice de abril passou de -0,32% para -0,47%.

No caso de março, o índice foi de -0,28% para -0,26%. O dado de fevereiro passou de -0,98% para -0,92% e o de janeiro foi de -0,06% para -0,10%. Em relação a dezembro do ano passado, o BC substituiu a taxa de +0,15% pela de +0,29%.

Conhecido como uma espécie de "prévia do BC para o PIB", o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A projeção atual do BC para a atividade doméstica em 2019 é de avanço de 0,8%.

Mais Economia