IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Vendas do comércio na Black Friday crescem 6,4% frente a 2018

29.nov.2019 - Clientes em frente ao Magazine Luiza para compras de Black Friday - Simon Plestenjak/UOL
29.nov.2019 - Clientes em frente ao Magazine Luiza para compras de Black Friday Imagem: Simon Plestenjak/UOL

Thaís Barcellos

São Paulo

02/12/2019 13h34

As vendas do comércio na Black Friday cresceram 6,4% em relação a 2018, de acordo com os dados nacionais da Boa Vista. A instituição esperava avanço de 4,0% e avalia que o resultado superou as expectativas, conforme já havia acontecido no ano anterior.

Os dados consideram as consultas do período de 26 a 30 de novembro, comparadas às consultas realizadas entre 20 e 24 do mesmo mês de 2018.

A Black Friday também mostrou o maior crescimento do ano em relação a outras datas comemorativas, seguido pelo Dia das Crianças, que registrou expansão de 3,1% das vendas do comércio.

Segundo os economistas da Boa Vista, o movimento reflete uma melhora no mercado de trabalho e, especialmente, no mercado de crédito. "Diante da inadimplência mais baixa, os bancos vêm aumentando a oferta de empréstimos. Por parte dos consumidores, as taxas de juros menores e a melhora da confiança vêm elevando a demanda por crédito."

A Boa Vista destaca que os eletrônicos e os eletrodomésticos, produtos mais caros e que dependem mais das condições de crédito, estão entre os itens mais vendidos na data.

Os economistas da instituição ainda lembram que os consumidores aproveitam para antecipar as compras de Natal na Black Friday, mas estimam que, neste ano, a melhora do cenário econômico já aponta para um aumento significativo do movimento do comércio no Natal, ainda a principal data comemorativa para o setor.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

Aposentado que trabalha pode sacar FGTS todo mês?

UOL Notícias

Economia