PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Economia anuncia R$ 10 bilhões para complementar renda de trabalhador

Coronavírus: preocupação com quarentena faz consumidores esvaziarem prateleiras de loja da rede Dia, em São Paulo - Lucas Borges Teixeira/UOL
Coronavírus: preocupação com quarentena faz consumidores esvaziarem prateleiras de loja da rede Dia, em São Paulo Imagem: Lucas Borges Teixeira/UOL

Idiana Tomazelli, Adriana Fernandes e Amanda Pupo

Brasília

19/03/2020 16h36

O governo vai pagar uma parcela do seguro-desemprego a trabalhadores que tiverem o salário e a jornada reduzidos pelos empregadores como medida de enfrentamento aos impactos econômicos do novo coronavírus.

O chamado "programa antidesemprego" deve atingir 11 milhões de pessoas, vai custar R$ 10 bilhões e será bancado com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

A medida foi antecipada pelo Estado/Broadcast. Segundo o Ministério da Economia, todas as pessoas que recebem até dois salários mínimos (R$ 2.090) e tiverem a redução de salário e jornada (que pode ser de até 50%, segundo informou ontem a pasta) receberão uma antecipação de 25% do valor de seguro-desemprego a que teriam direito mensalmente.