PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

IBGE não garante que vai conseguir divulgar taxa de desemprego de abril

Juca Varella/Folhapress
Imagem: Juca Varella/Folhapress

Daniela Amorim

Rio

04/05/2020 16h55Atualizada em 04/05/2020 17h28

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) ainda não assegura a divulgação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) referente a abril, que informa a taxa de desemprego no País.

O órgão começou nesta segunda-feira, 4, a coleta por telefone da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid), que tem como objetivo colher dados sobre a saúde e do mercado de trabalho durante a pandemia do novo coronavírus.

Ambos os levantamentos ainda dependem do sucesso da coleta feita através de entrevistas por telefone com os moradores dos domicílios que integram a amostra.

Os dados passarão pela Coordenação de Controle de Qualidade do IBGE antes de serem publicados. A coleta da Pnad Contínua de abril está 50% concluída, mas algumas unidades ainda enfrentam dificuldades em relação aos números de telefones necessários, segundo Cimar Azeredo, diretor adjunto de Pesquisas do IBGE.

"Não temos ainda garantia de que vamos conseguir divulgar", disse Azeredo. "A gente não tem 100% de clareza que vamos poder divulgar também a Pnad Covid. Para isso precisa ter uma coleta boa. Estamos otimistas", completou.

A coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Maria Lucia Vieira, disse que, a exemplo do que ocorreu com a Pnad Contínua de março, os próximos dados coletados passarão por todos os testes de qualidade necessários para que seja possível avaliar se o IBGE conseguirá divulgar ou não a taxa de desemprego nacional para abril.

"A gente vai avaliar se os dados são significativos, se a gente consegue falar ou não com todo o Brasil", afirmou Maria Lucia.

Tanto Maria Lucia quanto Azeredo ressaltaram que a Pnad Contínua seguirá sendo a pesquisa de referência para o mercado de trabalho, apesar das dificuldades da coleta telefônica em tempos de pandemia.

"Estamos com pesquisa em campo, com as mesmas dificuldades da pesquisa de março, de coleta por telefone", disse Azeredo, reconhecendo que o IBGE não tem "expertise" em coleta por telefones de informações de domicílios, embora faça esse tipo de coleta de dados nas pesquisas de informantes empresariais.

A Pnad Covid é uma versão da Pnad Contínua, planejada em parceria com o Ministério da Saúde. A coleta iniciada nesta segunda-feira, 4, mobiliza cerca de dois mil agentes do IBGE, que já começaram a ligar para 193,6 mil domicílios distribuídos em 3.364 municípios de todos os estados do País.

Além do monitoramento sobre a saúde da população, o levantamento buscará informações sobre as mudanças no mercado de trabalho durante a pandemia, como trabalho remoto e acesso a benefícios como Bolsa Família e à renda emergencial liberada pelo governo.