PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Fitch: programas contra coronavírus podem mascarar piora na qualidade de ativos

Marcela Guimarães

São Paulo

21/05/2020 12h25

A qualidade dos ativos dos bancos dos Estados Unidos deve se deteriorar significativamente como resultado da pandemia de coronavírus, mas pode levar algum tempo para que o verdadeiro impacto seja refletido nas demonstrações financeiras dos bancos, afirma a Fitch Ratings, em relatório divulgado nesta quinta-feira, 21.

A Fitch aponta que o "aumento definitivo de empréstimos e perdas de crédito não produtivos da recessão vai dificultar a determinação se os programas de tolerância e medidas tomadas pelos legisladores e reguladores bancários apoiam a disponibilidade de crédito".

Segundo a instituição, os padrões de relatórios para os bancos foram flexibilizados pela Lei CARES de socorro emergencial para a crise de covid-19, e, portanto, empréstimos com redução de valor e reestruturações de dívida com problemas (TDRs) "podem ser subestimados no curto prazo".

"A enorme escala das medidas de alívio do coronavírus apresenta riscos à reputação dos bancos se o manuseio for incorreto ou a implementação for ruim", afirma Michael Shepherd, diretor da Fitch Ratings. "Os programas de alívio e tolerância a desastres não são um fenômeno novo, mas a amplitude e escala das modificações nos empréstimos relacionados ao coronavírus criam desafios operacionais para os bancos e podem resultar em clientes afetados negativamente, prejudicando a reputação dessas instituições", completa.

Economia