PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

PF faz operação em 14 estados contra fraudes do auxílio emergencial

Segundo a PF, foi determinado o bloqueio de valores de até R$ 650 mil em contas que receberam benefícios fraudados - Rafael Henrique/Getty Images
Segundo a PF, foi determinado o bloqueio de valores de até R$ 650 mil em contas que receberam benefícios fraudados Imagem: Rafael Henrique/Getty Images

Pepita Ortega e Fausto Macedo

São Paulo

10/12/2020 13h04

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje a Operação Segunda Parcela para investigar fraudes ao auxílio emergencial. Mais de 150 agentes cumprem 42 mandados de apreensão, sete ordens de prisão e 13 mandados de sequestros de bens em 14 Estados. Segundo a corporação, foi determinado o bloqueio de valores de até R$ 650 mil em contas que receberam benefícios fraudados.

As atividades da Segunda Parcela são realizadas em: São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba, Espírito Santo, Bahia, Santa Catarina, Tocantins, Paraná, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Maranhão, Piauí e Mato Grosso do Sul.

A ofensiva faz parte da Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial (EIAFAE), que conta com a participação da Polícia Federal, do Ministério Público Federal o Ministério da Cidadania, a Caixa, a Receita Federal, a Controladoria-Geral da União e o Tribunal de Contas da União.

Os trabalhos de investigação do grupo consistem no processamento de pagamentos indevidos e tentativas de cadastramento irregulares, com ferramentas estabelecidas pela Polícia Federal, buscando identificar a atuação de organizações criminosas e fraudes estruturadas.

A PF diz ainda que, no viés preventivo, a força-tarefa detectou, bloqueou e cancelou o cadastramento de mais de 3,82 milhões de pedidos irregulares. "Deixaram de sair indevidamente dos cofres públicos, no mínimo, R$ 2.3 bilhões, considerando-se apenas o pagamento de uma parcela de R$ 600,00, em cada pedido", explicou a corporação.