PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Queda no varejo interrompe seis meses de altas, quando acumulou avanço de 32,2%

Patamar de vendas alcançou recordes em novembro em segmentos de artigos de uso pessoal e doméstico - Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão Conteúdo
Patamar de vendas alcançou recordes em novembro em segmentos de artigos de uso pessoal e doméstico Imagem: Aloisio Mauricio/FotoArena/Estadão Conteúdo

Daniela Amorim

No Rio de Janeiro

15/01/2021 12h09

A ligeira queda de 0,1% no varejo em novembro ante outubro interrompeu uma sequência de seis taxas positivas consecutivas, período em que o setor acumulou um avanço de 32,2%. No entanto, o volume vendido permanece muito próximo do pico histórico, apenas 0,1% abaixo.

O patamar de vendas alcançou recordes em novembro nos segmentos de outros artigos de uso pessoal e doméstico e artigos farmacêuticos, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio, iniciada em janeiro de 2000 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

As vendas do varejo estão 7,3% acima do patamar de fevereiro, no pré-pandemia. O varejo ampliado, que inclui os setores de veículos e material de construção, está 5,2% acima do nível pré-pandemia, operando 0,1% abaixo do pico alcançado em agosto de 2012.

As vendas de material de construção já superaram em 18,1% o nível pré-pandemia, e as de móveis e eletrodomésticos estão 17,9% superiores a fevereiro. O patamar vendido por outros artigos de uso pessoal e doméstico está 14,3% acima do pré-pandemia; artigos farmacêuticos estão 13,0% acima; supermercados estão 3,1% acima; e equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação estão 1,4% acima.

Na direção oposta, o segmento de veículos opera 1,9% abaixo do patamar pré-pandemia, e o de vestuário está 1,3% aquém do nível de fevereiro. As vendas de combustíveis e lubrificantes estão 5,0% abaixo de fevereiro, e livros, jornais, revistas e papelaria, 29,8% aquém.