PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

B2W e Lojas Americanas devem unir operações

Talita Nascimento e Gabriel Baldocchi

20/02/2021 07h50

A varejista online B2W (dona de Americanas.com e Submarino) e a Lojas Americanas, anunciaram ontem, em fato relevante, que iniciaram estudos para uma possível combinação operacional dos dois negócios.

A medida já era cobrada por analistas como solução para destravar a avaliação das empresas. A explicação é que, com as operações separadas, o negócio digital do grupo deixa de usar a rede de lojas físicas como pontos logísticos estratégicos para fazer os produtos chegarem aos clientes de forma mais rápida e barata. Em 2020, a B2W assistiu a empresas que são tradicionalmente do ramo de lojas físicas ganharem força no segmento de e-commerce.

Esse modelo multicanal já é explorado pelas concorrentes Magazine Luiza e Via Varejo. "Faz enorme sentido (a união). A maior desvantagem da B2W para se tornar um ecossistema e fazer frente à escalada do Magazine Luiza, do Mercado Livre ou Amazon era esse nó societário de não poder pensar o negócio como um só por causa de estruturas societárias distintas", diz Alberto Serrentino, fundador da Varese, consultoria de varejo. A Lojas Americanas é controladora da B2W.

Analista da XP, Danniela Eiger concorda que o movimento é positivo, mas pondera que é necessário ter mais detalhes de como a negociação se desenrolará. "Vemos como positivo estrategicamente, mas temos de entender quais serão os termos desse potencial movimento", diz. Apesar de o acordo ter sido anunciado após o fechamento do mercado, os papéis da B2W subiram quase 7% ontem, na B3.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.