PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Banco do Governo de São Paulo tem lucro de R$ 20,5 milhões no 1º trimestre

O Índice de Inadimplência da carteira do Desenvolve SP, banco do governo de SP, foi de 0,61% - Getty Images
O Índice de Inadimplência da carteira do Desenvolve SP, banco do governo de SP, foi de 0,61% Imagem: Getty Images

Sofia Aguiar

São Paulo

14/05/2021 13h24Atualizada em 14/05/2021 13h53

O Desenvolve SP, banco do Governo do Estado de São Paulo, encerrou o primeiro trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 20,5 milhões, 41,7% maior que o registrado no mesmo período do ano passado (R$ 14,5 milhões). Em comparação ao mesmo período de 2020, o resultado operacional evoluiu 42,8%, de R$ 18,9 milhões para R$ 27 milhões.

As receitas de intermediação financeira avançaram 24,2%, somando R$ 64,3 milhões, enquanto no período anterior o valor correspondeu a R$ 51,7 milhões. Já as receitas de prestação de serviços e tarifas bancárias evoluíram 50,2% no período de comparação, avançando de R$ 5,5 milhões para R$ 8,2 milhões.

Diante do cenário positivo, o indicador ROAE atingiu a marca recorde de 7,2% no primeiro trimestre de 2021, 1,9 p.p. maior que em 2020, e o índice de eficiência do banco foi de 33,42%. Outro recorde também foi registrado no índice de cobertura do banco. No primeiro trimestre, a instituição foi capaz de garantir as despesas totais em 208,4%, crescimento de 66 p.p. em relação ao mesmo período de 2020.

O Índice de Inadimplência da carteira do Desenvolve SP foi de 0,61%, significativamente inferior à média do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e com redução de 1,3 p.p. em relação ao primeiro trimestre de 2020. A qualidade da carteira do banco apresentou concentração de 92,76% das operações entre os níveis de risco AA e C, considerados de baixo risco.

Em 2021, o banco lançou duas linhas de crédito 100% digital voltadas para o apoio aos empresários paulistas. A primeira, de R$ 100 milhões, voltada para empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões ao ano; a segunda, de R$ 50 milhões, para microempresas, com faturamento até 360 mil anuais, com condições facilitadas e de forma desburocratizada. A expectativa é de que essas linhas exclusivas beneficiem mais de 3,3 mil empresas paulistas.

Na avaliação do presidente do Desenvolve SP, Nelson de Souza, os resultados obtidos no primeiro trimestre demonstraram que o reposicionamento estratégico da instituição surtiu os efeitos programados. "Focamos no cliente e no digital, inovamos de forma sistemática em várias áreas e buscamos a melhoria contínua de todos nossos indicadores e processos", disse.