PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Pix

Sistema de pagamento instantâneo do Banco Central é alternativa a DOC, TED e cartões


Pix é 'política pública' e permitiu inclusão de 45,6 milhões de pessoas, diz BC

De maneira geral, 104,4 milhões de pessoas já fizeram Pix, ou 62,4% da população adulta no Brasil - Tiago Caldas/Fotoarena/Estadão Conteúdo
De maneira geral, 104,4 milhões de pessoas já fizeram Pix, ou 62,4% da população adulta no Brasil Imagem: Tiago Caldas/Fotoarena/Estadão Conteúdo

16/11/2021 15h33Atualizada em 16/11/2021 16h13

Em um balanço de um ano do Pix, o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central (BC), João Manoel Pinho de Mello, destacou o papel de inclusão financeira do sistema de pagamentos instantâneos.

Segundo Pinho de Mello, 45,6 milhões de pessoas foram incluídas no universo de meios de pagamento digitais com o Pix. É o contingente de pessoas que não havia feito TED nos 12 meses anteriores ao lançamento do Pix e que realizou ao menos um pagamento por meio da nova ferramenta.

O diretor do BC ressaltou ainda que o crescimento do Pix é maior proporcionalmente entre as classes mais baixas. Em todas as segmentações de renda, houve avanço de 52% dos usuários de março a outubro, enquanto houve aumento de 131% dos usuários na baixa renda que fizeram um Pix, na ponta pagadora.

Outro dado citado por Pinho de Mello sobre a inclusão financeira do Pix foi o contingente de pessoas que usam o sistema no Cadastro Único (35%) e no Bolsa Família (25%). "É inclusão na veia." Ele ainda acrescentou que o Pix off-line vai aumentar ainda mais a inclusão financeira, pois vai permitir que pessoas com pacotes de dados de internet menores acessem a ferramenta.

Segundo o diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do Banco Central, Mauricio Moura, o Pix é uma política pública.

O objetivo do Banco Central não é fazer o IPO [sigla em inglês para "oferta pública inicial" de ações] do Pix, abrir o capital na Bolsa. É uma política pública de eficiência e inclusão para todos os brasileiros.
Maurício Moura, diretor do BC

De maneira geral, 104,4 milhões de pessoas já fizeram Pix, ou 62,4% da população adulta no Brasil. "É um número quase sem precedentes. É sem precedentes para o primeiro ano", disse Pinho de Mello.

O diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC também destacou que há menor concentração no Pix ante cartões pré-pago ou de débito, tanto em volume quanto em quantidade. Na quantidade de transações, os grandes bancos representam 61,4% no mercado Pix e 68,1% de cartão pré-pago e débito.

Hoje, o Pix representa 72% das operações de transferência, superando TED, DOC e Boleto. Ante os meios de pagamento de compra, o Pix ultrapassou as transações com cartão pré-pago e tem diminuído a diferença para débito e crédito. "O BC incentiva todos os meios de pagamento digital", disse Pinho de Mello.

Empresas

Em relação às empresas, Pinho de Mello afirmou que mais de 7 milhões já fizeram Pix, seja pagamento ou recebimento, quase 55% do universo que tem algum relacionamento com o Sistema Financeiro Nacional (SFN). Entre os setores, o comércio é o que tem maior participação em recebimento do sistema de pagamentos instantâneos.

Pinho de Mello e Moura participaram da live "(R)evolução Pix", em comemoração de um ano do sistema de pagamentos.

PUBLICIDADE