PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Bolsonaro sobre ida ao encontro do Mercosul: 'Tão tentando me convencer'

6.jun2022 - O presidente Jair Bolsonaro em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, em Brasília - Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil
6.jun2022 - O presidente Jair Bolsonaro em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, em Brasília Imagem: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

Célia Froufe, Matheus Piovesana e Bruno Luiz

Brasília, São Paulo e Salvador

17/07/2022 19h03Atualizada em 17/07/2022 19h23

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que continua com a posição de não ir à reunião de cúpula do Mercosul no Paraguai, marcada para a próxima quinta-feira (21). Entretanto, segundo ele, "tudo pode mudar", ainda que em cima da hora.

O encontro será o primeiro entre os líderes da organização realizado de forma presencial desde o início da pandemia da covid-19. Na última quinta, Bolsonaro disse que não iria comparecer. A presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, está prevista.

"Tem problemas que tem pra resolver aqui, o que engorda o porco é o olho do dono", disse o presidente em entrevista do lado de fora do Palácio do Planalto. Bolsonaro não disse quais problemas seriam estes, e afirmou que há muitas pessoas tentando convencê-lo a ir ao encontro multilateral.

"Tão tentando me convencer, tá quase uma avalanche de pessoas com argumentos, etc, para um bate-volta", afirmou. O presidente disse que neste momento, está propenso a não comparecer, mas que pode decidir ir mesmo de última hora, ainda que sem o esquema de segurança necessário.

"Pretendo bater o martelo amanhã, estava 99% para não ir, tá 50% agora. Se eu precisar viajar agora, pra qualquer lugar do Brasil, ou fora do Brasil, tem um pouco mais de burocracia, eu vou, mesmo sem ter segurança adequada", afirmou.

Bolsonaro disse ainda que tem consideração pelo presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, e que o Paraguai é um dos poucos países "que não é vermelho ainda" na América Latina.