Novas altas nos juros devem ser necessárias para trazer inflação à meta, diz diretora do Fed

A diretora do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Michelle Bowman, acredita que altas adicionais nos juros dos Estados Unidos provavelmente serão necessárias para trazer a inflação para a meta de 2% a médio prazo. "Estarei procurando evidências consistentes de que a inflação está em um caminho significativo em direção a nossa meta de 2%", afirmou, em discurso preparado para evento no Kansas.

"Devemos permanecer dispostos a aumentar as taxas em uma reunião futura se os dados recebidos indicarem que o progresso da inflação estagnou", destacou a dirigente.

Entretanto, ela reconheceu que a inflação caiu em relação ao nível de 2022. "Embora esse desenvolvimento seja um sinal positivo de que a política monetária está contribuindo para reduzir a inflação, tanto a inflação total quanto o núcleo permanecem bem acima de nossa meta de 2%".

A dirigente também afirmou que a economia e o mercado de trabalho americano seguem fortes.

Comentando sobre o relatório de empregos (payroll), publicado na sexta-feira, Michelle Bowman destacou que, apesar de o ritmo de criação de empregos ter diminuído - um sinal de que a oferta e a procura no mercado de trabalho estão se equilibrando melhor -, "a demanda por trabalhadores continua a exceder a oferta de candidatos a emprego disponíveis, aumentando a pressão sobre os preços".

Ainda, a diretora do Fed destacou que o sistema bancário norte-americano continua forte e resiliente e, embora os bancos tenham endurecido os padrões de empréstimo, não houve sinais de uma nova contração acentuada no crédito devido ao estresse bancário ocorrido no início do ano.