CNI/Sondagem: Produção Industrial e emprego têm queda em julho, mas empresários estão otimistas

A produção e o emprego industrial apresentaram queda em julho, sinalizando uma piora do desempenho. Os dados constam da Sondagem Industrial, divulgada nesta quarta-feira (16) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice de evolução da produção ficou em 47,8 pontos em julho, abaixo da linha divisória dos 50 pontos, o que significa que a produção caiu frente ao mês anterior. Essa foi a segunda queda consecutiva do indicador.

Segundo a CNI, "esse resultado não é usual para o período, visto que o valor médio do índice de evolução da produção para os meses de julho é de 51,0 pontos, ou seja, a produção industrial usualmente aumenta na passagem de junho para julho".

O emprego industrial teve índice de evolução de 48,4 pontos em julho, também abaixo da linha de 50 pontos, que separa queda de alta de emprego. Esse foi o décimo mês consecutivo em que o emprego do setor não apresentou crescimento.

Com relação à Utilização da Capacidade Instalada (UCI), o indicador ficou estável em julho, em 69%, o mesmo registrado no mês anterior. Segundo a CNI, este é o terceiro mês consecutivo que a UCI se encontra nesse patamar. O índice de julho de 2023 foi o mais baixo para o mês nos últimos três anos. O índice de utilização da capacidade instalada efetiva em relação ao usual ficou em 42,6 pontos em julho, o mesmo verificado em junho.

A Sondagem também mediu o índice de evolução do nível de estoques, que subiu de junho para julho, ficando em 51,6 pontos. O resultado acima da linha dos 50 pontos indica crescimento dos estoques. "Desde fevereiro, o índice encontra-se acima dos 50 pontos, mostrando acúmulo de estoques", destaca a pesquisa. O índice de estoque efetivo em relação ao planejado foi de 52,3 pontos em julho. "Ao situar-se acima da linha divisória de 50 pontos, o índice mostra que o nível de estoques de produtos finais efetivo ao fim de julho está acima do planejado pelas empresas."

Expectativas

Apesar do fraco desempenho da produção, todos os índices de expectativas de agosto estão acima dos 50 pontos, revelando otimismo do empresário industrial. Segundo a Sondagem, o índice de expectativa de demanda de agosto ficou em 55,6 pontos, estável na comparação com mês anterior.

O índice de expectativa de número de empregados registrou leve aumento na passagem de julho para agosto, de 0,3 ponto, chegando a 51,4 pontos. O indicador de expectativa de compras de matérias-primas teve queda de 0,7 ponto em agosto, registrando 52,8 pontos.

O indicador que mede expectativa de quantidade exportada teve maior queda, de 1,4 ponto, mas ainda assim as expectativas ficaram em patamar favorável, de 50,8 pontos.

Com relação à intenção de investimento, a pesquisa mostra que ela tem oscilado ao longo do ano, com avanços e recuos. De julho para agosto, o indicador ficou em 53,5 pontos, o que representa uma queda de 0,6 ponto.

A Sondagem foi feita com 1.625 empresas, entre os dias 1º e 9 de agosto.