Petrobras coloca em produção navio-plataforma Anita Garibaldi na Bacia de Campos

A Petrobras informou que colocou em produção, nesta quarta-feira, 16, o navio-plataforma Anita Garibaldi na Bacia de Campos, com capacidade de produzir até 80 mil barris de petróleo por dia (bpd) e processar até 7 milhões de m3 de gás/dia.

O novo navio-plataforma é do tipo FPSO (sistema flutuante que produz, armazena e transfere petróleo) e vai operar simultaneamente no pós-sal e pré-sal dos campos de Marlim e Voador.

"As plataformas Anita Garibaldi e Anna Nery, que também iniciou operação em 2023, serão fundamentais para aumentar a longevidade da Bacia de Campos e ampliar sua produção. Em paralelo, são equipadas com tecnologias de última geração para redução de emissões de gases de efeito estufa, combinando eficiência e descarbonização. Passados mais de 40 anos desde que começou a produzir, a Bacia de Campos segue se renovando e exercendo papel estratégico para o país, lançando novos projetos e gerando novas oportunidades", afirmou o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, em comunicado ao mercado.

Redução de 50% das emissões de CO2

O Anita Garibaldi foi construído pela Modec e produzirá em Marlim e Voador em conjunto com o FPSO Anna Nery, já em operação. A capacidade de produção conjunta das duas plataformas é de até 150 mil barris de óleo por dia (bpd) e de processamento de até 11 milhões de m3 de gás. Ambas irão substituir 9 plataformas que operavam na Bacia de Campos e serão descomissionadas.

Com a diminuição do número de plataformas em operação nos dois campos, haverá a redução de mais de 50% das emissões dos gases de efeito estufa.

O projeto de revitalização de Marlim e Voador, em conjunto com projetos de desenvolvimento complementar e projetos de revitalização de outros campos, contribuirá para o aumento da produção na Bacia de Campos dos atuais 565 mil barris de óleo equivalente por dia (boed) para 920 mil boed, em 2027.