Evergrande nega que Capítulo 15 nos EUA envolva falência: 'procedimento normal'

Após acionar o Capítulo 15 do código de falências dos Estados Unidos, a incorporadora chinesa Evergrande esclareceu nesta sexta-feira, 18, que o processo representa um "procedimento normal" para reestruturação da dívida offshore e "não envolve um pedido de falência".

Em comunicado, a empresa explicou que os bônus emitidos em dólares estão sujeitos à legislação de Nova York. Por isso, protocolou pedido de proteção contra os credores para reconhecer as renegociações dos débitos conduzidas em Hong Kong e nas Ilhas Virgens Britânicas.

O Capítulo 15 costuma ser usado para proteger os ativos nos EUA de uma companhia que enfrenta algum caso de insolvência fora do país.

O objetivo é promover a cooperação judicial internacionalmente e criar um ambiente de maior segurança jurídica.