Fonte solar atinge marca de 1 milhão de empregos e 33,5 GW de potência instalada, diz Absolar

O setor de energia solar no Brasil acaba de atingir a marca de 1 milhão de empregos, acumulando mais de R$ 163 bilhões de investimentos desde 2012, segundo mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) divulgado nesta terça-feira, 29, na abertura da Intersolar South America, um dos maiores eventos do mundo na área de energia solar, que acontece esta semana em São Paulo.

De acordo com a entidade, a fonte solar fotovoltaica possui atualmente 33,5 gigawatts (GW) de potência instalada, somando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia em telhados, fachadas e pequenos terrenos, o equivalente a 15% da matriz elétrica do País. O setor acumula no período mais de R$ 46,6 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e evitou a emissão de 42,1 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

"Finalmente, o Brasil acordou para a energia solar e seus benefícios. Aproveitar uma fonte de energia limpa e competitiva ajuda no processo de reindustrialização do País, além de estimular a diversificação do suprimento de eletricidade, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e o risco de ainda mais aumentos na conta de luz da população", disse em nota o presidente do Conselho de Administração da Absolar, Ronaldo Koloszuk.

Já o presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia, destacou que a solar é a fonte renovável mais competitiva do País e uma alavanca para o desenvolvimento social, econômico e ambiental, com geração de emprego e renda, atração de investimentos, diversificação da matriz elétrica e benefícios sistêmicos para todos os cidadãos.

"O Brasil tem tudo a ganhar com esta fonte e avança para se tornar uma grande liderança mundial no setor, cada vez mais estratégico no mundo", afirmou Sauaia. "O crescimento da energia solar fortalece a sustentabilidade, alivia o orçamento das famílias e amplia a competitividade dos setores produtivos brasileiros, fatores cada vez mais importantes para a economia nacional e para o cumprimento dos compromissos ambientais assumidos pelo País", concluiu.

A energia solar tem sido puxada principalmente pela geração distribuída, responsável por 23 GW, enquanto a geração centralizada responde por 10,5 GW.