IPC-S acelera a 0,35% na 3ª quadrissemana de outubro, ante 0,33% na 2ª prévia, diz FGV

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) da Fundação Getulio Vargas (FGV) acelerou a 0,35% na terceira quadrissemana de outubro, ante alta de 0,33% na leitura anterior. Com o resultado, o indicador acumula elevação de 3,81% em 12 meses, ante 3,79% na segunda quadrissemana do mês.

Nesta medição, três das oito classes de despesas registraram aceleração, com destaque para o grupo Educação, leitura e recreação (2,84% para 3,44%), puxado por passagem aérea (17,32% para 21,05%).

Também aceleraram os grupos Alimentação (-0,46% para -0,22%) e Saúde e cuidados pessoais (0,12% para 0,24%), influenciados, respectivamente, por carnes bovinas (-1,75% para -0,52%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,42% para 0,27%).

Por outro lado, houve arrefecimento em Transportes (0,21% para -0,10%), Habitação (0,32% para 0,14%), Vestuário (0,27% para 0,22%) e Comunicação (0,08% para 0,07%). Nessas segmentos, destaque para os movimentos de gasolina (0,12% para -0,84%), aluguel residencial (0,72% para 0,02%), roupas masculinas (0,62% para 0,44%) e tarifa de telefone residencial (0,00% para -0,18%). Já o grupo Despesas diversas repetiu a taxa de variação nas duas leituras (0,06%).

Influências

A maior influência positiva para o IPC-S da terceira quadrissemana partiu de passagem aérea. Em seguida, aparecem plano e seguro de saúde (0,62% para 0,63%); condomínio residencial (0,67% para 0,76%); automóvel novo (0,70% para 0,57%) e arroz (3,26% para 2,92%).

Em contrapartida, pressionaram o índice para baixo gasolina (0,12% para -0,84%); leite tipo longa vida (-4,67% para -4,43%); ovos (-4,27% para -3,95%); banana nanica (-5,14% para -6,78%) e banana-prata (-3,21% para -2,94%).