Trabalhadores em greve na primeira fábrica da Ford votam a favor de acordo provisório

Os trabalhadores da primeira fábrica erguida pela Ford que estão em greve votaram com maioria esmagadora a favor do acordo provisório com a montadora. Cerca de 3.300 membros do sindicato United Auto Workers (UAW) entraram em greve em 15 de setembro, após a expiração do contrato com a Ford, e permaneceram nos piquetes até 25 de outubro, quando o sindicato anunciou o acordo provisório.

Cerca de 81% dos trabalhadores da produção, na fábrica de montagem em Wayne, no estado de Michigan, votaram a favor de ratificar o acordo com duração de quatro anos e oito meses, de acordo com postagens hoje no Facebook. Dois dirigentes sindicais confirmaram a veracidade da porcentagem, mas nenhum dos dois quis ser identificado porque os votos totais não foram divulgados. A votação na Ford continuará até 17 de novembro.

Líderes sindicais locais da Stellantis estão se reunindo em Detroit para obter uma explicação sobre o acordo provisório da montadora junto ao presidente da UAW, Shawn Fain, e o vice-presidente Rich Boyer. Se endossarem o contrato, Fain e Boyer irão explicá-lo aos membros em uma apresentação online na noite desta quinta-feira. Os líderes locais da General Motors se reunirão amanhã, com outra explicação do contrato pela noite.

Os negócios com as três empresas são geralmente os mesmos, embora existam algumas diferenças. Todos dão aos trabalhadores aumentos salariais gerais de 25%, com 11% após a ratificação. Com o pagamento do custo de vida, os aumentos ultrapassarão 30% até o término dos contratos, em 30 de abril de 2028.

Fonte: Associated Press.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes