Ibovespa inicia semana em leve alta de 0,23%, aos 118,4 mil pontos

O Ibovespa operou em leve viés de alta em boa parte do dia, mas a virada em Nova York do meio para o fim da tarde, ao negativo, chegou a tirar sustentação do índice da B3. Ao fim, com recuperação também em NY, fechou em alta de 0,23%, aos 118.431,25 pontos, o quarto avanço consecutivo para o Ibovespa, vindo de alta de 2,70% na última sexta-feira.

Ao longo da sessão, o índice da B3 operou em margem bem estreita, de cerca de 713 pontos entre a mínima (118.044,82) e a máxima (118.757,52) do dia, em que saiu de abertura aos 118.159,97 pontos. Nessas primeiras sessões do mês, acumula ganho de 4,67% em novembro, que recoloca o avanço do ano a 7,93%. Após melhora na última sexta-feira, o giro financeiro voltou a se enfraquecer neste começo de semana, a R$ 18,5 bilhões.

"O Ibovespa teve um dia mais manso, de leve movimento de abertura na curva de juros doméstica, especialmente nos vértices intermediários e mais longos, mas sem 'driver' específico. Foi um dia pouco direcional para os ativos", diz Lucas Serra, analista da Toro Investimentos.

O ganho moderado da ação de maior peso individual no índice, Vale (ON +0,42%), contribuiu para que o Ibovespa não se aprofundasse na mesma direção de Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq nos piores momentos da tarde, em dia positivo também para Gerdau (PN +1,18%), que divulga balanço trimestral após o fechamento de hoje.

Ainda que em grau moderado, a sessão era majoritariamente negativa para os grandes bancos, à exceção de Itaú (PN +0,93%), antes do balanço trimestral, e de Banco do Brasil (ON +0,70%), mas Bradesco ON (+0,23%) e Santander (Unit +0,22%) também se alinharam ao positivo no fechamento. Petrobras perdeu força ao longo da tarde e fechou em baixa de 0,26% (ON) e de 0,08% (PN), com o petróleo limitando à faixa de meio por cento ganho na casa de 1% visto mais cedo, em Londres como em Nova York.

Na ponta ganhadora do Ibovespa, destaque nesta abertura de semana para BRF (+12,87%), Marfrig (+8,61%) e Minerva (+3,34%), com CVC (-9,23%), Yduqs (-8,85%) e Gol (-7,06%) no lado oposto.

"O Ibovespa ficou neutro, bem perto do zero a zero, em parte do dia. A puxada nos rendimentos dos Treasuries fez os índices de ações em Nova York devolverem ganhos em certo momento, afetando o Ibovespa também. Nada para alarde: o que se tem é algo como uma pausa no movimento visto na semana passada, principalmente aqui no Brasil, onde o Ibovespa subiu bem forte na sexta-feira, em alta então de 2,7%", diz Gabriel Mota, assessor de renda variável da Manchester Investimentos, acrescentando que Petrobras, mais cedo, e especialmente Vale contribuíram para dar sustentação ao índice da B3, mesmo com a piora em Nova York em parte da tarde.

"Após uma disparada na semana passada, tivemos agora um início de semana fraco e sem direção única, com Nova York encontrando dificuldade para estender o movimento de recuperação, mesmo com a expectativa de que o Federal Reserve, o BC americano, encerre o ciclo de aperto monetário, após recentes dados no sentido de enfraquecimento da economia dos Estados Unidos - principalmente a geração da vagas de trabalho, bem abaixo do esperado para outubro", diz Dennis Esteves, sócio e especialista da Blue3 Investimentos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes