Ciclo de aperto terminará quando inflação estiver em queda sustentada, diz membro do Fed

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Chicago, Austan Goolsbee, afirmou que o ciclo de aperto monetário americano terminará quando a inflação estiver em queda sustentada. Em entrevista à CNBC, Goolsbee demonstrou otimismo com o progresso no combate a inflação, destacando que os preços "tiveram uma das quedas mais rápidas da história" nos últimos meses.

O dirigente defendeu que ainda é possível conquistar um "pouso suave" nos Estados Unidos, sem um grande ponto de inflexão, como queda brusca da inflação ou uma recessão econômica.

Ele destacou que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) segue muito acima da tendência, mas que há uma desaceleração necessária do mercado de trabalho. "Atividade econômica está enfraquecendo e precisa enfraquecer para reduzir inflação à meta de 2%", pontuou, frisando que o objetivo primário do Fed é a estabilidade dos preços.

Sobre o nível elevado dos rendimentos na ponta longa dos Treasuries, Goolsbee alertou que não há como associar o movimento a um aperto das condições financeiras, devido à volatilidade dos títulos. "Precisamos olhar além de variações de curto prazo de qualquer dado. Se juros longos dos Treasuries continuarem elevados por muito tempo, significaria um aperto das condições financeiras e vamos considerar este fato. Contudo, isso não necessariamente substitui o aperto da política monetária", argumentou.

Ele comentou também que existem discordâncias sobre os catalisadores da recente escalada dos Treasuries longos e que o BC americano está monitorando as condições do mercado de títulos. Goolsbee vota nas decisões monetárias do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) deste ano.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora