Taxas de juros sobem com cautela externa e após dado fiscal pior que o esperado

Os juros futuros avançam na manhã desta quarta-feira, 8, acompanhando a alta moderada dos rendimentos das T-Notes e do dólar em dia de cautela externa antes do discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell.

No cenário local, investidor olha também o setor público consolidado, que registrou déficit primário de R$ 18,071 bilhões em setembro, bem pior que a mediana superavitária de R$ 9,60 bilhões do Projeções Broadcast, e mais próximo do piso das estimativas (-R$ 20,107 bilhões). E as vendas no varejo de setembro ficaram acima da mediana tanto no âmbito restrito como no ampliado.

Às 9h18 desta quarta, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2025 subia a 10,840%, de 10,796% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2027 subia a 10,815%, de 10,757%, e o para janeiro de 2029 avançava para máxima de 11,170%, de 11,131% no ajuste de terça-feira, 7.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes