Com riscos à perspectiva de inflação, é prematuro discutir cortes de juros, diz Guindos, do BCE

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, disse que é prematuro discutir possíveis cortes de juros, uma vez que ainda há riscos à perspectiva da inflação na zona do euro.

Em entrevista ao jornal esloveno Finance, Guindos disse que aumentos dos preços de energia, o enfraquecimento do euro e o avanço dos custos unitários do trabalho são ameaças em potencial à trajetória dos preços ao consumidor no bloco.

Em outubro, a taxa anual da inflação ao consumidor da zona do euro desacelerou a 2,9%, mas permanecia bem acima da meta oficial de 2% do BCE.

"É essencial focar o núcleo da inflação, para o qual existem vários riscos", disse Guindos na entrevista, que foi reproduzida no site do BCE nesta quinta-feira. "Qualquer discussão sobre redução de taxas de juros é claramente prematura," acrescentou.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes