Número de indústrias que pegarão empréstimos para pagar 13º é o menor desde 2008, mostra Fiesp

A indústria paulista se preparou ao longo do ano para honrar agora no final de 2023 os pagamentos de 13º salário de seus funcionários. De acordo com levantamento feito pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), apenas 11,7% das empresas do setor pretendem pedir empréstimos neste fim de ano para cumprir a lei e pagar o 13º salário. Trata-se do menor porcentual desde 2008.

Isso se deve ao fato de 67,8% dos estabelecimentos industriais terem provisionado recursos ao longo do ano para esta finalidade, mostra o estudo. É o maior patamar visto na série histórica elaborada pela Fiesp.

Até 2018 a média de indústrias que solicitaram financiamento bancário para este propósito era de 32,4%. "De 2020 a 2023, a média caiu para 14%. Os 11,7% respondentes que vão recorrer aos bancos para pagar o 13% salário pretendem usar os recursos para cobrir 79,2% da folha de pagamento, em média, o 4ª maior porcentual da série", dizem os responsáveis pela pesquisa.

Embora 7 em cada 10 indústrias que solicitarão o financiamento bancário tenham sinalizado que o custo está mais alto ou muito mais alto do que no ano anterior, esta é a menor indicação dos últimos três anos.

A pesquisa foram ouvidas 419 indústrias de transformação paulistas.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes