Produção de soja deve cair 1,3% e ser de 149,8 milhões de t em 2024, diz IBGE

O Brasil deve colher 149,8 milhões de toneladas de soja em 2024, o que deve representar quase a metade do total de cereais, leguminosas e oleaginosas produzidos no País. Se confirmada, a produção será a segunda maior já obtida, perdendo apenas para o recorde esperado em 2023. Os dados são do primeiro Prognóstico para a Produção Agrícola do ano que vem, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A primeira estimativa indica que a produção nacional de soja deve cair 1,3% em relação a este ano, embora a safra esperada para o Rio Grande do Sul aponte um crescimento de 65,0%, para 20,9 milhões de toneladas.

Milho

A estimativa para a produção de milho é de 124,3 milhões de toneladas em 2024, uma redução de 5,6% em relação à safra colhida em 2023.

A produção do milho 2ª safra deve cair 8,2% em relação a 2023, por causa de um declínio de 7,5% na produtividade.

"Em 2023, o clima beneficiou as produções durante a segunda safra, havendo bons volumes de chuvas e um prolongamento do período úmido nas principais Unidades da Federação produtoras. Para 2024, o clima e os volumes de chuvas podem ficar aquém das necessidades das lavouras, podendo influenciar no seu rendimento, visto que o plantio se inicia somente no início do próximo ano. Além disso, há um recuo dos preços do milho no mercado, o que reduziu as margens de lucro dos produtores", justificou o IBGE.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes