Com economia mundial resiliente, Barômetros Econômicos Globais crescem em novembro, diz FGV

Os Barômetros Econômicos Globais Antecedente e Coincidente cresceram em novembro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). "O Barômetro Global Antecedente sugere uma continuidade da fase de aceleração da taxa de crescimento mundial entre três e seis meses à frente. Já o Barômetro Coincidente, ainda que mostre resiliência no crescimento a despeito do aperto monetário em diversos países, se encontra abaixo de seu nível médio histórico", apontou a FGV.

O Barômetro Econômico Global Coincidente subiu 1,7 ponto em novembro, para 90,8 pontos. O Barômetro Econômico Global Antecedente avançou 0,6 ponto, para 102,7 pontos, nível mais alto desde setembro de 2021. Apesar da melhora em ambos os indicadores, a diferença entre os dois Barômetros Globais permanece acima de 10 pontos pelo terceiro mês consecutivo.

"A economia mundial segue resiliente no quarto trimestre de 2023, ainda que o desempenho seja heterogêneo entre as regiões. A aceleração captada pelo Barômetro Global Antecedente deve continuar nos próximos meses, impulsionada pela aceleração do crescimento asiático. Mas é importante notar que ao longo das últimas semanas aumentaram o grau de incerteza econômica com a deflagração do conflito no Oriente Médio e o risco de um ciclo mais longo que o esperado de aperto monetário nos Estados Unidos", avaliou Aloisio Campelo Jr., pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O Barômetro Coincidente reflete o estado atual da atividade econômica. O Barômetro Antecedente emite um sinal cíclico cerca de três a seis meses à frente dos desenvolvimentos econômicos reais. Os dois indicadores são produzidos pelo Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV) em colaboração com o Instituto Econômico Suíço KOF da ETH Zurique.

No Barômetro Global Coincidente, a região da Ásia, Pacífico & África contribuiu com 1,2 ponto, enquanto o Hemisfério Ocidental impactou positivamente em 0,2 ponto, e a Europa, 0,4 ponto.

"Todos os três indicadores regionais, na faixa dos 91-92 pontos, sugerem um nível de atividade mundial ainda abaixo do normal, numa retomada gradual, desenhada pelos diversos desafios econômicos enfrentados pelos países", observou a FGV.

No Barômetro Global Antecedente, a região da Ásia, Pacífico & África contribui com 0,3 ponto, enquanto o Hemisfério Ocidental impacta em 0,5 ponto, e a Europa, em -0,2 ponto.

"O nível dos indicadores sugere uma maior disseminação da percepção de aceleração da taxa de crescimento nas principais regiões nos próximos meses, com os indicadores da Europa e Hemisfério Ocidental girando em torno da neutralidade dos 100 pontos e os indicadores da Ásia, Pacífico & África assumindo uma posição mais otimista", ressaltou a FGV.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes