Taxas de juros adotam viés de alta com meta fiscal no radar

Os juros futuros abriram a quinta-feira, 16, com viés de baixa, perto da estabilidade, mas mudaram de direção há pouco conforme o dólar opera no terreno positivo. Em dia sem indicadores locais relevantes, o investidor monitora a reunião do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e outros ministros com o deputado federal e relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), Danilo Forte (União-CE) a um dia do fim do prazo para apresentação de emendas.

No Palácio do Planalto, o governo se divide sobre o objetivo de zerar o déficit das contas públicas ano que vem, estabelecido por Haddad.

O ministro pediu tempo até março, quando sai o primeiro Relatório de Receitas e Despesas Primárias de 2024, para que se decida sobre qualquer mudança na meta.

Às 9h38, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2025 ia para 10,560%, de 10,540% no ajuste anterior.

O DI para janeiro de 2027 subia para 10,455%, de 10,409%, e para janeiro de 2029 avançava para 10,850%, de 10,815% no ajuste anterior.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes