Para Campos Neto, crescimento estrutural do Brasil pode ter subido após reformas

Após reconhecer que errou previsões para o crescimento da economia nos últimos quatro anos, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, repetiu nesta sexta-feira, 17, que, talvez, o crescimento estrutural do Brasil tenha subido um pouco pelo efeito cumulativo de reformas. "Existe uma projeção de desaceleração do crescimento daqui para o ano que vem. O mundo vai desacelerar, e temos um pouco de sincronização. Não tem como o mundo não começar a desacelerar com essas taxas de juros globais", afirmou, durante participação no evento "E Agora, Brasil?", promovido pelos jornais O Globo e Valor Econômico.

Campos Neto destacou que a performance do Brasil em 2023 foi "bastante boa".

"A situação de crédito começou a melhorar e a inadimplência de pessoas físicas começou a cair", acrescentou o presidente do BC.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes