Moderação externa limita alta do Ibovespa por commodities

A alta das commodities e da maioria das bolsas internacionais motiva o Ibovespa. A elevação, contudo, é moderada seja por conta do movimento externo, seja porque o Índice Bovespa vem de quatro semanas seguidas de ganhos. Além de questões externas, a expectativa de aceleração da pauta econômica nessa reta final do ano é visto como algo positivo.

De todo modo, o principal indicador da B3 volta a flertar com o nível dos 125 mil pontos, tocado no intraday na sexta-feira, 17, quando subiu 0,11%, aos 124.773,21 pontos.

"Há espaço para buscar a pontuação recorde dos 132 mil pontos vista no fim de 2021, mas também há espaço para uma realização de curto prazo", observa em comentário o economista Álvaro Bandeira.

Nesta semana, o volume financeiro pode diminuir. Nesta segunda-feira, 20, o feriado da Consciência Negra é celebrado em algumas cidades do País, o que tende a atrapalhar o volume de negócios, principalmente no câmbio. Já os Estados Unidos comemorarão o Dia de Ação de Graças, na quinta-feira, 23, deixando os mercados fechados na ocasião e em parte do dia seguinte.

Por conta do feriado, a ata do Fed será divulgada nesta terça-feira, 21, e não na quarta, como de praxe. Nesta segunda, a agenda externa está esvaziada. O Banco Central Europeu (BCE) também informará sua ata da última reunião de política monetária nesta semana. Na China houve manutenção dos juros nesta segunda-feira e indícios de novos estímulos à economia. O minério de ferro subiu 0,47% em Dalian, enquanto o petróleo sobe acima de 2,00%, diante de expectativas de corte na oferta pela Opep+ no domingo. As ações da estatal avançavam entre 0,57% (PN) e 0,25% (ON), às 10h37. As da Vale subiam 2,03%.

No Brasil, prosseguem os indícios de desinflação, o que tende continuar animando algumas ações ligadas ao ciclo econômico. Após a manutenção da meta de déficit primário zero para 2024, o Boletim Focus trouxe reduções na projeção mediana para o IPCA do ano que vem, de 3,92% para 3,91%. Para 2023 saiu de 4,59% para 4,55%.

Na seara da agenda econômica do governo, a estratégia é aprovar os três principais projetos orçamentários do governo, que estão com votações atrasadas: o Plano Plurianual (PPA), a LDO e a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2024. Além disso, a reforma tributária passará por mais uma votação na Câmara, após ter sido aprovada no Senado.

Nesta segunda, o senador Alessandro Vieira (MDB-SE) deve apresentar o relatório do projeto de lei que taxa fundos offshore e fundos exclusivos e a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) pode analisar o texto já amanhã.

A vitória do libertário Javier Milei à presidência da Argentina também fica no radar. Por ora, a relação comercial Brasil-Argentina deve seguir como está, cita a Guide Investimentos. Em relatório, afirma que mais importante do que isso será acompanhar o desempenho da economia argentina nos próximos anos e seu efeito para a balança comercial do Brasil.

Às 10h38 desta segunda, o Ibovespa subia 0,30%, aos 125.141,66 pontos, ante máxima aos 125.446,53 pontos, quando avançou 0,54%, vindo de abertura aos 124.773,21 pontos (também a mínima intradia), com variação zero.