Haddad destaca 'ineditismo' do Desenrola e diz que 7 milhões de brasileiros quitaram dívidas

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que o governo federal estava preocupado com o "ineditismo" do programa Desenrola Brasil, de refinanciamento de dívidas de pessoas físicas. Segundo o ministro, até o momento, foram 7 milhões de brasileiros que conseguiram quitar as dívidas a partir do programa.

"Todos nós estamos muito preocupados com o ineditismo, nunca tinha sido tentado nada parecido", declarou o ministro ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante transmissão semanal ao vivo nas redes sociais, denominada de Conversa com o Presidente, nesta terça-feira, 21. "Foi uma ousadia do presidente Lula ter colocado no programa de governo e não se tinha tecnologia, ela foi desenvolvida ao longo do primeiro semestre."

Haddad reforçou que o desconto médio no Desenrola é de 83% e pode chegar a 99% em alguns casos. Segundo ele, do total de dívidas de R$ 100, R$ 10 milhões foram cancelados. "Tudo somado, 7 milhões de brasileiros", calculou. "O potencial do programa, teoricamente, podemos chegar a R$ 30 bilhões."

"A grande vantagem é que quando aceita pagar dívida, o nome fica limpo", comentou o ministro. Em relação à nova fase do programa, Haddad afirmou que, pela dívida ser maior e desconto grande, o valor descontado em reais será muito maior.

Lula afirmou que o governo quer que os bancos permitam que os brasileiros tenham nas agências "um amigo para desenrolar a vida dele". Segundo o chefe do Executivo, além da preocupação com as pessoas, o Desenrola também pensa no desenvolvimento da economia. "Quando todos começam a comprar, as coisas começam a melhorar."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes