País precisa avaliar riscos de inteligência artificial ao mercado de trabalho, diz Mercadante

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante, disse nesta terça-feira que o Brasil precisa avaliar os riscos da inteligência artificial no mercado de trabalho. "Temos de ser pragmáticos e avaliar riscos de inteligência artificial, inclusive no mercado de trabalho."

Ele participou no período da manhã do seminário "Impacto da Inteligência Artificial no Brasil", promovido em parceria com o Sesi (Serviço Social da Indústria), na sede do banco de fomento, na região central do Rio.

O executivo disse ainda que, a partir do evento, será criada a Rede Brasileira de Inteligência Artificial, para debates e intervenções relacionadas à nova tecnologia. Também propôs a criação de uma linha de crédito voltado ao setor, no valor de R$ 2 bilhões, junto à Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e ao Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial).

Na abertura do evento, Mercadante afirmou que o Brasil tem pouca gente trabalhando no setor de inteligência artificial. "A inteligência artificial é uma agenda árida no Brasil", disse, ressaltando a relevância e os riscos precipitados pela tecnologia. "A inteligência artificial pode contribuir com automatização de tarefas repetitivas. Os algoritmos vão ter uma velocidade sem precedentes. Portanto, trará capacidade de analisar dados, e com isso terá mais rapidez, precisão e capacidade de projetar", afirmou, mencionando os setores de saúde e finanças. Ele citou ainda a personalização e a possibilidade de produção de respostas individualizadas, previsão de tendências comportamentais e análises preditivas complexas.

Por outro lado, frisou, a tecnologia traz riscos, como o de perpetuação de preconceitos e discriminação a partir das bases de dados; e a perda de controle de processos. "Ela ainda pode se comportar de forma imprevisível", disse. "A automação da inteligência artificial pode significar uma ameaça porque o ser humano pode perder o controle dos processos", disse, frisando que a ameaça à segurança dos sistemas de informação pode implicar manipulação e desinformação. Para ilustrar, Mercadante mencionou o impacto que a internet e as fake news têm na democracia. "Isso trouxe de desafios do processo civilizatório", afirmou.

Mercadante afirmou que as oportunidades e riscos da inteligência artificial que citou foram elaboradas com uma pesquisa que realizou no ChatGPT.

O executivo frisou ainda que o banco elevou em 20% o lucro recorrente, ao mesmo tempo em que aumentou o patrimônio e o capital do banco. Destacou ainda que, na comparação em 12 meses, o banco de fomento aprovou 63% mais pedidos de crédito e elevou em 35% os desembolsos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes