Londres contraria bolsas da Europa e fecha em queda com orçamento do Reino Unido

A Bolsa de Londres fechou em baixa, contrariando o movimento dos principais índices europeus, depois do ministro das Finanças do Reino Unido, Jeremy Hunt apresentar a Declaração de Outono do país, com uma série de cortes de impostos. O índice FTSE 100 também foi afetado pela queda do petróleo, que tombava perto de 4% no fechamento europeu e pesava sobre as petroleiras.

Durante a apresentação da Declaração de Outono, Hunt anunciou previsões de queda do déficit fiscal nacional e tímido crescimento do Produto Interno Bruto, acompanhado de uma sequência de cortes em impostos para empresas, aumento de subsídios para as famílias e até mesmo suspensão de impostos para bebidas alcoólicas. De acordo com o analista de mercado da Monex Europe, Nick Rees, as medidas de hoje devem dar um "ligeiro impulso à inflação", o que provavelmente fará o Banco da Inglaterra (BoE) cortar taxas de forma mais gradativa.

Hoje, os papéis do NatWest caíram 1,21%, depois de Hunt anunciar planos do governo britânico de devolver o banco completamente à iniciativa privada até 2026, com venda de ações programada para iniciar já nos próximos 12 meses. De acordo com o Hargreaves Lansdown, a decisão "parece atraente tanto para o mercado como para os acionistas novos e existentes". Enquanto isso, as ações da BP recuaram 2,26%, e as da Shell caíram 2,01%. Tudo somado, o FTSE 100 registrou baixa de 0,17% hoje, aos 7.469,51 pontos.

Na zona do euro, os investidores monitoraram a alta além do esperado do índice de confiança do consumidor preliminar de novembro, medido pela Comissão Europeia. Também hoje, o Banco Central Europeu pontuou que o enfraquecimento da economia no bloco pode fazer os efeitos do aperto monetário serem transmitidos com maior velocidade às famílias. Mesmo assim, o vice-presidente da autoridade monetária, Luis de Guindos, disse que ainda não é hora de começar a debater cortes nas taxas.

No fim do pregão, em Frankfurt, o DAX subiu 0,36%, aos 15.957,82 pontos; em Paris, o CAC 40 subiu 0,43%, aos 7.260,73 pontos; em Milão o FTSE MIB teve alta de 0,01%, aos 29.154,91 pontos; em Lisboa, o PSI 20 caiu 0,06%, aos 6.280,45 pontos. Em Madri, o IBEX subiu 0,66%, aos 9.892,50 pontos. As cotações são preliminares.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes