Bolsas da Ásia fecham sem sinal único, com Xangai puxada por montadoras e baixa em Tóquio

Por Gabriel Bueno da Costa*

São Paulo, 28/11/2023 - Os mercados acionários da Ásia não tiveram direção única, nesta terça-feira. Entre os principais, Xangai exibiu ganho, mas Tóquio caiu, embora nos dois casos o impulso tenha sido limitado.

O índice Nikkei fechou em baixa de 0,12%, a 33.408,39 pontos, em quadro de força do iene, que pressiona ações de exportadoras do Japão. Houve ainda relatos sobre ajustes de posições, antes do fim do mês. Entre papéis em foco, Denso caiu 4,8%, Ono Pharmaceutical teve baixa de 2,8% e Mazda Motor, de 2,3%. Já Sojitz subiu 8,5%, após estabelecer meta de lucro líquido que agradou o mercado.

Na China, a Bolsa de Xangai registrou alta de 0,23%, a 3.038,55 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, subiu 0,60%, a 1.904,81 pontos. Ações de montadoras apoiaram o mercado local, após a mídia chinesa reportar que a Huawei havia convidado parceiras a investir em joint venture para carros inteligentes com a Chongqing Changan Automobile. Changan subiu 9,8% e Seres Group, 3,7%. O sentimento pode ter sido apoiado também pelo tom otimista sobre a perspectiva econômica do país, em discurso do presidente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês), Pan Gongsheng. Ações de farmacêuticas subiram, mas incorporadoras estiveram sob pressão.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em queda de 0,98%, em 17.354,14 pontos. Ações ligadas ao setor de tecnologia e a alimentos e bebidas estiveram sob pressão. Meituan caiu 5,2%, antes de publicar balanço do terceiro trimestre, e Alibaba recuou 2,1%. Em Taiwan, o índice Taiex avançou 1,19%, a 17.341,25 pontos.

Na Coreia do Sul, o Kospi registrou alta de 1,05% em Seul, a 2.521,76 pontos. O setor de eletrônico foi destaque, com Samsung Electric em alta de quase 2%. LG Corp subiu 1,6% e SK Hynix, 0,5%.

Na Oceania, em Sydney o índice S&P/ASX 200 fechou em alta de 0,39%, em 7.015,20 pontos. Ações de bancos e de empresas ligadas ao ouro avançaram, mas o setor de energia exibiu sinal negativo.

Contato: gabriel.costa@estadao.com

* Com informações da Dow Jones Newswires

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes